(31) 3284-3223 / (31) 98623-9711 (whatsapp) - contato@odontologiaesaudebh.com.br
A IMPORTÂNCIA DO BEBÊ MAMAR NO PEITO DA MÃE

A IMPORTÂNCIA DO BEBÊ MAMAR NO PEITO DA MÃE

O aleitamento materno é um hábito vital para o recém-nascido, saiba os porquês   Falar sobre a saúde bucal dos bebês é um assunto que amamos, e por isso vamos falar da importância da amamentação no desenvolvimento do rostinho deles. Por incrível que pareça, quando o bebê se alimenta do leite materno diretamente no seio da mãe, ele está contribuindo para a formação de sua própria face. Olha só que interessante.   Benefícios gerais da amamentação   São diversos os benefícios que ela gera, como desenvolvimento do sistema imunológico do bebê (evitando alergias, anemia, doenças futuras, cólicas) assim como da mãe (o risco de câncer de mama é diminuído), aumento do laço afetivo. Queremos dar destaque para o estímulo que este hábito provoca no crescimento e desenvolvimento correto da musculatura oral do bebê. Ou seja, todo a formação facial é aprimorada pelo aleitamento materno, inclusive o desenvolvimento da fala. Fantástico, não é?   Aleitamento materno é um exercício para o bebê   Ao mamar diretamente no seio materno, o bebê faz a primeira ginástica facial que lhe é capaz, o que estimula corretamente os ossos do rostinho dele. Desta forma a face e a dentição crescem em harmonia, facilitando uma boa oclusão dos dentes (o que evita a necessidade de tratamentos ortodônticos e extrações no futuro). Já o bebê que só se alimenta pela mamadeira a oclusão e posicionamento dentário não serão bons, afetando o crescimento dos dentes de leite e dos permanentes.   Bebês preparados para a mastigação   O movimento de sucção do leite materno é um preparo para quando o bebê tiver que se alimentar de...
A CHEGADA DOS PRIMEIROS DENTINHOS, E AGORA?

A CHEGADA DOS PRIMEIROS DENTINHOS, E AGORA?

Entenda como se dá esse processo e como os pais podem amenizá-lo para o bebê Se tem uma coisa que é capaz de conquistar todo mundo é o sorriso de um bebê. Com ou sem dentes, a expressão facial desses seres humaninhos é tão linda e fofa que desmonta qualquer um. Agora, pergunta para os pais se quando os dentinhos começam a aparecer o bebê fica só a sorrisos? No texto de hoje, você vai entender o que estamos falando. Quais dentinhos nascem primeiro? Nessa época de acompanhamento do bebê com o dentista pediatra, é sempre bom saber quais dentes aparecem primeiro na boca. Normalmente, nascem primeiro os incisivos centrais de baixo, depois os dois correspondentes de cima, em seguida vêm os que ficam ao lado e por último os segundos molares (os do fundo da boca).   Há um período específico para o nascimento? Não há. O comum é o primeiro dentinho surgir por volta dos 6 meses (em alguns bebês surge aos 3 meses ou 12 meses). Como o crescimento e desenvolvimento da dentição, tanto de leite quanto permanente, está ligada a vários fatores, como o genético, por exemplo, é super normal ocorrer essa variação. Ao completar três anos, o baby precisa já ter todos os 20 dentes de leite (essa nomenclatura surgiu, pois eles são mais claros que os dentes permanentes, ou seja, são brancos como o leite).   O que fazer com os sintomas que o neném sente? É comum que durante a fase de crescimento dos dentes decíduos (de leite), o bebê tenha sintomas desagradáveis que refletem o desenvolvimento da dentição que está sendo...
CÁRIE, AQUELA QUE ESTÁ NA BOCA DO POVO

CÁRIE, AQUELA QUE ESTÁ NA BOCA DO POVO

ENTENDA E APRENDA AGORA COMO SE PREVENIR DESSA DOENÇA Um dos alertas que todos nós ouvimos falar desde a infância é sobre a terrível cárie. Os pais ensinam aos filhos que escovar os dentes é importante para ‘não dar cárie’, e que comer muitos doces também favorece a doença. Pois bem, para que você e sua família saibam um pouco mais sobre essa vilã da saúde bucal, confira a seguir algumas informações importantes. Muito cuidado, pois ela é uma doença Aos que acreditam que é exagero, calma-lá: a cárie é uma doença causada por bactérias que vivem na boca. Caso o paciente não a trate, ela pode destruir o dente (um ou mais deles), alcançar a polpa (o nervo do dente) e virar um abcesso, que já é a infecção na ponta da raiz do dente. O abscesso é tratado fazendo canal, cirurgia ou até a extração do dente. É sério pessoal, a cárie pode evoluir para complicações super doloridas e perigosas para a saúde. O que provoca a cárie Quando nos alimentamos, seja por refeições sólidas, pastosas ou líquidas (exceto água pura própria para beber), acabamos por sujar a boca. E as bactérias que vivem em nossa boca sobrevivem dos restos de alimentos que encontram, transformando (principalmente o açúcar e amido) em ácidos. São exatamente estes ácidos que destroem o esmalte do dente, deixando-o frágil. Isso porque a placa bacteriana (formada por bactérias, ácidos, resíduos de comida e saliva) grudam no dente, podendo se mineralizar e virar tártaro. Como se prevenir Cuidar da saúde bucal é menos dolorido e mais econômico, pode apostar. Mantenha uma boa higiene da...
SAIBA COMO SE PREVENIR DA HALITOSE

SAIBA COMO SE PREVENIR DA HALITOSE

O que é essa tal de halitose? Entenda! Mesmo que o termo pareça ser nome de doença, a halitose nada mais é que o mau hálito, o incômodo que alguns sentem quando abrem a boca para falar ou respirar. É um assunto considerado meio que um tabu, pois há pessoas que sabem que têm, as que acham que que têm e as que não sabem que têm (é um problema até psicológico e delicado de se lidar,  afinal incomoda tanto quem possui, quanto quem está perto de uma pessoa que possui). Separamos algumas informações para que você, quem sabe não consiga ajudar aquela pessoa mais íntima (parente, amigo) que, infelizmente, sofre com isso?   As causas do mau hálito   Já está comprovado que a grande maioria dos casos de halitose começa na própria boca. Cerca de 90% dos casos se relacionam à falta de limpeza da língua, o que gera a saburra lingual (placa bacteriana esbranquiçada que fica no fundo da língua). Os outros 10% são referentes aos casos de restaurações mal adaptadas ou quando a pessoa come certos tipos de alimentos (cebola e alho, por exemplo); ingere muito álcool; fuma; costuma ter a boca seca ou está com algum desequilíbrio no corpo – doença periodontal, diabetes, insuficiência renal, infecções respiratórias ou no aparelho gastrointestinal.   Os pacientes que passam por tratamento de radioterapia, costumam ter a produção de saliva reduzida, o que gera mau hálito (dependendo, se preciso, eles podem até usar saliva artificial para ajudar na lubrificação da boca). Todas essas hipóteses elevam as chances de uma pessoa ter mau hálito. Lembrando que hoje já existem...
IMPLANTES DENTÁRIOS: NÃO TENHA MEDO DE SORRIR

IMPLANTES DENTÁRIOS: NÃO TENHA MEDO DE SORRIR

A falta de um dente na boca significa desconfortos estéticos e sociais que uma pessoa passa, como também dificuldades na mastigação correta que ela faz de alimentos. Na dúvida por qual opção para corrigir o problema, o implante dentário é uma ótima alternativa por ser a restauração que mais se assemelha a um dente natural. A Mr. Clean preparou alguns posts aqui no blog para você saber mais sobre o tratamento, confira a seguir.   O que são implantes dentários Os implantes dentários são suportes ou estruturas de metal colocadas, por meio de cirurgia, no osso maxilar da gengiva. Quando posicionados, eles permitem que o dentista monte dentes substitutos sobre eles. Os implantes dentários são nada mais que “raízes” artificiais implantadas na mandíbula e maxila. Seus pinos são feitos em titânio comercialmente puro e se parecem com parafusos.   Quando usar um implante dentário É recomendável utilizar um implante dentário quando o paciente possui um bom estado de saúde geral e condições específicas que possibilitam a instalação do mesmo. Portanto, é necessário que o paciente tenha quantidade e qualidade óssea satisfatória para receber os pinos. Ele é recomendado em caso de perda de um ou mais dentes; na falta de confiança ao rir ou falar; dificuldade na mastigação por causa da perda de retenção da prótese total; chance de perder uma prótese fixa (quando um ou mais dentes naturais se enfraquecem e se movem); risco de perda dos dentes devido a doenças na gengiva; perda de retenção da dentadura (prótese total) ou parcial (roach); fraturas envolvendo a raiz do dente.   Por que implante dentário e não prótese fixa?...
Página 3 de 1512345678...Última »