(31) 3284-3223 / (31) 98623-9711 (whatsapp) - contato@odontologiaesaudebh.com.br
IMPLANTE DENTÁRIO SEM MISTÉRIO, SEM COMPLICAÇÕES

IMPLANTE DENTÁRIO SEM MISTÉRIO, SEM COMPLICAÇÕES

O vazio na boca provocado pela falta de um ou mais dentes é solucionado com os implantes dentários. E se pararmos para falar sobre a eficácia desse método, entram em cena os cuidados que todo paciente precisa ter, tanto após a cirurgia, quanto de forma constante por toda a vida a fim de evitar riscos. Então confira as orientações a seguir.   Atenção logo após a cirurgia do implante   O indicado é ter prudência nas primeiras 72 horas. Repousar; tomar os remédios na hora certa; comer sorvete ou alimentos gelados para aliviar a dor (fazer compressas de gelo quando o dentista recomendar); não ingerir alimentos e bebidas duros, quentes ou ácidos nos primeiros dias; caprichar na higiene bucal (sem aplicar força na escova); evitar bebida alcoólica ou cigarro; não assoar o nariz ou cuspir; não mastigar na área do implante durante a cicatrização. Em caso de edemas, sangramentos persistentes ou indícios de alergia a algum dos medicamentos (coceiras, mudanças no tom da pele, manchas), consultar o dentista o mais rápido possível.   Riscos oriundos da falta de cuidado   Não adotar aquelas medidas de cautela aumenta as chances do paciente ter chateações após o procedimento cirúrgico, como infecções (o que é péssimo); complicações nas raízes dos dentes vizinhos; um implante frouxo (fica saindo) ou até mesmo a perda do implante (investimento jogado fora, infelizmente). Por isso é tão importante levar a sério o período de cicatrização e também a manutenção, afinal tudo interfere na duração do implante.   Desconfortos relacionados ao descaso com os implantes A questão da higienização e manutenção corretas dos implantes é algo muito sério,...
SORRISO RADIANTE PROPORCIONADO POR IMPLANTE

SORRISO RADIANTE PROPORCIONADO POR IMPLANTE

A beleza e a saúde de um sorriso podem voltar à vida de uma pessoa por meio do implante dentário, tratamento odontológico que tem ganhado adeptos no mundo inteiro, principalmente no meio artístico. São vários os homens e mulheres que resgatam a alegria de sorrir quando adotam o implante dentário. Dando continuidade à nossa série especial de posts aqui no blog sobre o assunto, acompanhe a seguir novas informações.   Os tipos de implantes dentários Existem três tipos: o unitário, overdenture e a substituição de ponte fixa ou roach por implante. O unitário substitui dentes perdidos (de acordo com o caso, pode ser implantado logo após a extração do dente comprometido). O overdenture é uma “dentadura” que pode ser afixada na parte superior, inferior ou nas duas arcadas, dando estabilidade, função e estética ao sorriso e à mordida (é a solução para quem perdeu todos os dentes ou sofre com dentadura solta). Nos casos de paciente com médios e grandes espaços desdentados, pode ser feita a substituição das próteses fixas (pontes) ou removíveis (roach) pelo implante odontológico.   Cautela para o sucesso do tratamento São raras as pessoas que têm quantidade e qualidade suficiente de osso para colocar implantes e dentes no mesmo dia, por isso, muita calma com o tratamento. Em implantes convencionais, os pacientes costumam esperar cerca de 2 a 3 meses na região inferior e de 4 a 6 meses na região superior da boca. Sempre que for possível o paciente ser paciente, nós dentistas vamos adorar, pois assim o tratamento fica mais seguro.     Sobre a osseointegração O período de espera que falamos anteriormente...
Novembro Azul

Novembro Azul

O mês de outubro acabou e os dias foram marcados pela cor rosa devido ao movimento internacional de luta contra o câncer de mama, o ​Outubro Rosa.​ Agora no mês de novembro, a campanha é caracterizada pelo tom azul e se direciona aos homens no combate ao câncer de próstata. A Mr. Clean separou algumas informações importantes que podem desmistificar e ajudar todos aqueles que precisam se cuidar, olha só. O que é o Novembro Azul O movimento surgiu no exterior, em 1999 na Austrália com o nome de Movember, que seria a junção da palavra moustache (bigode em inglês) com november (novembro em inglês). Um grupo de amigos resolveu deixar o bigode crescer justamente no mês que tem o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, que é dia 17 de novembro. A atitude tinha o objetivo de conscientizar as pessoas quanto a saúde masculina. No Brasil, a abordagem pioneira sobre a saúde do homem começou pelo ​Instituto Lado a Lado pela Vida​, em 2008, com a campanha Um Toque, Um Drible. Quatro anos depois, inspirado pelo Movember o instituto criou o movimento Novembro Azul, com a missão de alertar os homens sobre a prevenção do câncer de próstata, informando os exames que a população masculina precisa fazer.   O câncer de próstata Segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, a previsão é de que o câncer de próstata registre 61 mil novos casos no Brasil somente em 2016, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer. A doença surge da multiplicação desordenada das células da próstata, o que pode gerar o câncer e assim...
Dia nacional do Idoso

Dia nacional do Idoso

No próximo sábado será comemorado o Dia Nacional do Idoso, data importante de ser comentada porque a inversão da pirâmide social do Brasil indica que teremos uma população idosa volumosa nos próximos anos. E independente da condição de vida mais sensível que um idoso geralmente enfrenta, percorrer a terceira idade com uma boa saúde bucal é possível. A seguir daremos algumas dicas, confira. Quais são os incômodos mais frequentes? O desconforto mais comum que as pessoas acreditam que uma pessoa idosa enfrenta é o uso de próteses, principalmente se for dentadura. O que muitos se esquecem é que o organismo do idoso é um organismo mais sensível e suscetível a inúmeros incômodos. Listando os principais deles: perda dos dentes; mastigação inadequada dos alimentos (devido às dificuldades que surgem com a falta dos dentes ou na adaptação com as próteses, a trituração da comida é feita com insuficiência); engasgos súbitos ou deglutição errada em virtude da mastigação ineficaz; cáries de raiz; xerostomia (a famosa boca seca); bruxismo (hábito de apertar e ranger os dentes); lesões da mucosa oral (candidíases, leucoplasias); câncer oral; doenças periodontais que afetam os tecidos de suporte e sustentação dos dentes; dificuldades de socialização. A terceira idade gera uma sensibilidade maior na boca, principalmente porque é normal a gengiva começar a retrair, deixando bem expostas as áreas do dente que não são protegidas pelo esmalte dental. É um desconforto sentido por alimentos ou bebidas quentes e frias, além do ar frio ou de líquidos doces e amargos – nos quadros clínicos mais graves de sensibilidade bucal.   Como resolver estes incômodos De início, a saúde bucal de...
SAÚDE… ALÉM DO CORPO!

SAÚDE… ALÉM DO CORPO!

Durante muito tempo a definição de “saúde” era tida apenas como a ausência de adoecimentos físicos. Com o passar do tempo e da modernização das pesquisas científicas, bem como a imensidão dos adoecimentos que surgiam sem uma causa aparente, fez-se urgente uma nova conceituação e entendimento do estado de saúde. O que realmente precisamos para ter, manter ou restabelecer nossa tão preciosa saúde? Acredito que devamos partir do princípio: uma infância feliz e bem cuidada, bem nutrida. Mas, nutrida muito além de belas frutas, belos cafés da manhã, refeições com pratos bem coloridos e atraentes, regularidade nos horários, e, não estamos falando em quantidade. Precisamos de pouca quantidade para alimentar substancialmente nosso corpo. É mais importante a variedade abundante do que a quantidade pra suprir nossas carências – vitamínicas, proteicas e minerais. Nossas carências são muitas. Quais carências podem afetar nossa saúde? Mais que os antioxidantes da maça ou potássio da banana, precisamos da ternura do olhar; mais que mel, precisamos do doce que vem do abraço… Meio romanceadas estas palavras! Mas, pra falar de saúde, precisamos da leveza da alma, da arte do sorriso… Ah… O SORRISO! Vou contar um acontecido. Quando recebi a leiturista da Cemig, com olhar cansado, expressão sisuda, perguntei sorridente: – Tem presente pra mim? Ela, meio desconfiada. disse: – Nem todo mundo quer este presente. Disse que ela me trazia um bom presente, sinal que a minha vida tinha luz, luz no lar, luz no amar, luz no viver e que aquele presente era mais uma forma de luz, sinal que minha casa tinha vida e vida abundante! Ela, me achando meio louca,...
Sua Boca, sua Saúde

Sua Boca, sua Saúde

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM PNEUMONIA NOSOCOMIAL? Hoje alertamos para a pneumonia nosocomial que acomete grande parte dos pacientes entubados, tanto, em ambiente hospitalar como doméstico. A incidência de bactérias colonizadoras e oportunistas que se alojam na cavidade bucal, tem relação direta com a causa de doenças pulmonares e cardíacas, entre outras. A pneumonia nosocomial é a segunda infecção hospitalar mais comum e a causa mais frequente de morte entre as infecções adquiridas em ambiente hospitalar. Os fatores de risco para o desenvolvimento de pneumonias nosocomiais incluem: doenças pulmonares e cardiológicas; manipulação do paciente pela equipe hospitalar; uso de sondas ou de cânula nasogástrica; intubação; macro ou microaspiração de secreção traqueobrônquica; uso prévio de antimicrobianos; entre outros. Em associação a todos esses fatores, em ambiente hospitalar existe maior probabilidade de estarmos lidando com pacientes imunologicamente comprometidos devido a doenças ou a medicamentos, com diminuição do fluxo salivar devido a procedimentos terapêuticos. Com a redução da lubrificação e higienização natural promovida pela mastigação e pelas enzimas salivares, a boca sofre colonização bacteriana contínua, apresentando praticamente metade de toda a microbiota presente no corpo humano e, em adição a esse fato, a placa bacteriana serve de reservatório permanente de microrganismos, podendo determinar infecções em diversos órgãos. Muitas vezes a falta de conhecimento dos familiares acerca dos processos evolutivos de um paciente acamado, diminui a importante vigilância sobre os cuidados básicos, mas, vitais para manutenção e recuperação do doente internado. Fica, então, nosso alerta para a observação insistente e cuidadosa das condições indispensáveis de higienização frequente das vias orais dos pacientes acamados e/ou entubados. Com pequenos cuidados podemos prevenir sérios agravamentos e...
Página 1 de 512345