(31) 3224-7378 / (31) 98623-9711 (whatsapp) - contato@odontologiaesaudebh.com.br
CÁRIE, AQUELA QUE ESTÁ NA BOCA DO POVO

CÁRIE, AQUELA QUE ESTÁ NA BOCA DO POVO

ENTENDA E APRENDA AGORA COMO SE PREVENIR DESSA DOENÇA Um dos alertas que todos nós ouvimos falar desde a infância é sobre a terrível cárie. Os pais ensinam aos filhos que escovar os dentes é importante para ‘não dar cárie’, e que comer muitos doces também favorece a doença. Pois bem, para que você e sua família saibam um pouco mais sobre essa vilã da saúde bucal, confira a seguir algumas informações importantes. Muito cuidado, pois ela é uma doença Aos que acreditam que é exagero, calma-lá: a cárie é uma doença causada por bactérias que vivem na boca. Caso o paciente não a trate, ela pode destruir o dente (um ou mais deles), alcançar a polpa (o nervo do dente) e virar um abcesso, que já é a infecção na ponta da raiz do dente. O abscesso é tratado fazendo canal, cirurgia ou até a extração do dente. É sério pessoal, a cárie pode evoluir para complicações super doloridas e perigosas para a saúde. O que provoca a cárie Quando nos alimentamos, seja por refeições sólidas, pastosas ou líquidas (exceto água pura própria para beber), acabamos por sujar a boca. E as bactérias que vivem em nossa boca sobrevivem dos restos de alimentos que encontram, transformando (principalmente o açúcar e amido) em ácidos. São exatamente estes ácidos que destroem o esmalte do dente, deixando-o frágil. Isso porque a placa bacteriana (formada por bactérias, ácidos, resíduos de comida e saliva) grudam no dente, podendo se mineralizar e virar tártaro. Como se prevenir Cuidar da saúde bucal é menos dolorido e mais econômico, pode apostar. Mantenha uma boa higiene da...
O GOSTO RUIM QUE PODE TER UM BEIJO

O GOSTO RUIM QUE PODE TER UM BEIJO

Os dias de folia estão se aproximando e a contagem regressiva para o descanso e diversão já começou, a gente sabe. O que nem todo mundo sabe é que a famosa azaração, clima de paquera e “ficadas” (como dizem os jovens), o “beijar muito”, é um comportamento que pode ter algumas consequências inesperadas para a saúde bucal e até corporal. Sem querer privar ninguém da folia, mas sem também não deixar de aconselhar, seguem nossas orientações.   É o beijo que transmite doenças? Não, definitivamente não é (inclusive, beijar mexe com os músculos da face, com os batimentos cardíacos, diminui o hormônio do estresse e tem outros benefícios para a saúde; beijar é bom, né gente?). Mas, como nem tudo na vida são flores, o beijo é nada mais que uma troca de salivas. Se alguma das pessoas estiverem com vírus ou bactérias presentes na saliva, irá acabar contaminando a outra pessoa que não tem nada.   Principais doenças transmitidas pelo beijo Na possibilidade de contaminação de vírus, bactérias ou fungos pela saliva trocada durante o beijo, a gente torce para que a imunidade da pessoa infectada esteja alta e combata o ser estranho. Caso o micro-organismo vença a “batalha” contra nossas células de autodefesa, certas doenças podem se desenvolver na pessoa, como herpes labial, cárie, mononucleose, HPV, meningite, sífilis, hepatite A, candidíase, gripes ou resfriados, catapora, caxumba dentre outras.   Mononucleose, a “doença do beijo” Sem deixar de lado as doenças citadas, vamos falar um pouco mais da mononucleose, enfermidade que tem sido registrada com maior frequência e merece uma atenção a mais. Como dito, ela é contagiosa,...
Endocardite Bacteriana: Cuide do seu Coração

Endocardite Bacteriana: Cuide do seu Coração

No post anterior explicamos sobre a Odontologia do Esporte, área que trata a saúde bucal de um atleta profissional. Hoje é Dia do Cliente e relacionaremos um pouco a Odontologia do Esporte com um assunto muito importante, falaremos sobre a endocardite, doença de causa bacteriana que já levou atletas profissionais e não profissionais à morte, infelizmente. Confira abaixo o que fazer para evitá-la. Como ela ocorre A chamada endocardite bacteriana acontece quando uma bactéria atinge a válvula do coração ou do endocárdio, ou seja, o músculo do coração. No local onde a bactéria se aloja, ela passa a criar um ninho, o que gera uma destruição gradativa da válvula do coração, além de se espalhar para o resto do corpo, podendo afetar qualquer parte. As pessoas que possuem problema congênito na formação do endocárdio ou que já sofreram com alguma alteração na válvula do coração, têm grandes chances de desenvolver a doença. Sem estas características, fica mais difícil da bactéria alojar no coração e ali criar uma colônia de bactérias por causa da velocidade normal do fluxo sanguíneo, que acaba “limpando” o local. A relação dela com a odontologia Vários agentes vivem na boca, alguns deles em plena harmonia, outros nem tanto. Quando algum destes agentes – como por exemplo a bactéria da cárie ou a bactéria que causa doença periodontal – entram no organismo e chegam até o coração que é vulnerável (endocárdio ou válvula sensíveis), acontece a endocardite bacteriana. Portanto, a causa da doença está diretamente ligada ao descuido com a saúde bucal. É ideal que antes de realizar tratamentos dentários mais invasivos alguns pacientes façam uma...