(31) 3224-7378 / (31) 98623-9711 (whatsapp) - contato@odontologiaesaudebh.com.br
Rua dos Tupis, 38 - Conj. 802
Centro - Belo Horizonte MG
SAIBA COMO SE PREVENIR DA HALITOSE

SAIBA COMO SE PREVENIR DA HALITOSE

O que é essa tal de halitose? Entenda! Mesmo que o termo pareça ser nome de doença, a halitose nada mais é que o mau hálito, o incômodo que alguns sentem quando abrem a boca para falar ou respirar. É um assunto considerado meio que um tabu, pois há pessoas que sabem que têm, as que acham que que têm e as que não sabem que têm (é um problema até psicológico e delicado de se lidar,  afinal incomoda tanto quem possui, quanto quem está perto de uma pessoa que possui). Separamos algumas informações para que você, quem sabe não consiga ajudar aquela pessoa mais íntima (parente, amigo) que, infelizmente, sofre com isso?   As causas do mau hálito   Já está comprovado que a grande maioria dos casos de halitose começa na própria boca. Cerca de 90% dos casos se relacionam à falta de limpeza da língua, o que gera a saburra lingual (placa bacteriana esbranquiçada que fica no fundo da língua). Os outros 10% são referentes aos casos de restaurações mal adaptadas ou quando a pessoa come certos tipos de alimentos (cebola e alho, por exemplo); ingere muito álcool; fuma; costuma ter a boca seca ou está com algum desequilíbrio no corpo – doença periodontal, diabetes, insuficiência renal, infecções respiratórias ou no aparelho gastrointestinal.   Os pacientes que passam por tratamento de radioterapia, costumam ter a produção de saliva reduzida, o que gera mau hálito (dependendo, se preciso, eles podem até usar saliva artificial para ajudar na lubrificação da boca). Todas essas hipóteses elevam as chances de uma pessoa ter mau hálito. Lembrando que hoje já existem...
5 CUIDADOS QUE FAZEM O CLAREAMENTO DENTAL DURAR

5 CUIDADOS QUE FAZEM O CLAREAMENTO DENTAL DURAR

Sorriso branco é bom e todo mundo gosta, mas exige cuidados. Mesmo quem já fez clareamento dental precisa ajustar a rotina, afinal quanto mais zelo a pessoa tiver com os dentes, maior será a duração do tratamento. Então acompanhe a seguir os 5 passos que são primordiais para seu sorriso ser sempre bonito e branquinho. 1- Saiba escolher a alimentação ideal Evite alimentos de cor escura, como beterraba, açaí, suco de uva, mirtilo, bebidas à base de cafeína (café, chás, refrigerantes), vinho tinto, molho de soja ou catchup. Se for ingerir algo assim, use canudinho (para evitar o contato com os dentes) e higienize a boca logo em seguida. 2- Não fume Estudos indicam que a nicotina e a fumaça do cigarro afetam o esmalte e as estruturas dentais da arcada. O famoso sorriso amarelo que denuncia quando alguém é fumante vem deste processo que ocorre. Porque não compensa investir no clareamento para depois fumar e perder o efeito, compensa? 3- Tenha atenção redobrada com a pasta e o enxaguante Certos cremes dentais que “branqueam” o sorriso não devem ser usados por muito tempo, eles são abrasivos e podem desgastar os dentes enquanto removem os pigmentos. Evite pasta dental colorida demais por causa dos corantes (alguns enxaguantes bucais também são assim), o que acaba por manchar os dentes. 4- Acerte na escolha da escova dental Investir na escova de qualidade e que seja anatômica de acordo com o tamanho e formato dos dentes, é essencial. Isso porque a escova dental com cerdas macias e cabeça arredondada para alcançar os lugares mais escondidos da boca impedirá que alimentos corantes fiquem...
Uso do enxaguante bucal

Uso do enxaguante bucal

Muito se engana quem acha que o enxaguante bucal tem que arder bastante a boca na hora do bochecho. Produto sempre divulgado na mídia, muitos adeptos não sabem que seu uso requer orientações de um dentista, afinal ele só é benéfico para quem tem doenças periodontais, para as pessoas que não possuem estas doenças o efeito é nulo. Primeiramente é bom frisar que utilizar o antisséptico bucal no lugar da higienização padrão da sua boca é totalmente errado. Somente a escovação e o fio dental são capazes de limpar direito os dentes e a gengiva dos restos de alimentos, combatendo assim as placas bacterianas. Nos casos das pessoas recomendadas pelo dentista a usar o produto, quando aliado a uma boa escovação ele surte efeito, senão ele pode é aumentar o mau hálito. Existem enxaguantes bucais com princípios ativos diferentes, mais um motivo para usar o produto somente sob orientação de um dentista. Há os que são ideais para a higiene pós-cirúrgica, os que controlam a cárie devido ao teor de flúor, os que controlam a hipersensibilidade dos dentes e aqueles que visam acabar com as bactérias bucais. Os antissépticos com álcool estão na lista dos mais preferidos, o que é uma escolha errada. Quem usa enxaguante com álcool acaba por comprometer a resina dos dentes, deixando-os sensíveis aos corantes dos alimentos ou até mesmo aos do próprio antisséptico, ocorrendo uma modificação gradativa da coloração dos dentes. Outras consequências do uso excessivo de enxaguantes é a descamação da mucosa bucal e alteração da eficiência das papilas gustativas. Por isso, recomendamos as opções sem álcool na composição, sem corantes ou agentes...
Página 2 de 212