Já ouviu falar que as pessoas diabéticas precisam ter cuidado redobrado com a saúde bucal?

Implante dentário em Belo Horizonte

Isso está cientificamente comprovado e vale a pena ser sempre falado com os pacientes, afinal um diabético tem maior propensão de desenvolver doenças gengivais, como também cardíacas, acidentes vasculares encefálicos e doenças renais.

Em relação à saúde da boca e dos dentes a gente explica nas próximas linhas.

Primeiramente, o que é diabetes?

Doença que acomete pessoas no mundo inteiro, o diabetes é uma síndrome ligada ao metabolismo corporal, cuja origem é múltipla relacionada à falta ou incapacidade da insulina não trabalhar de forma correta no sangue.

Como o diabetes muda por completo o metabolismo do indivíduo, o paciente precisa mudar seus hábitos de vida para conseguir preservar a sua saúde.

Entendendo a relação saúde bucal e diabetes

Quem tem diabetes possui uma alta concentração de glicose no sangue (facilitando o desenvolvimento de bactérias), condição que se associada ao acúmulo de restos de comida na boca favorece o surgimento da cárie.

Uma pessoa que não realiza a higienização correta após as refeições (escovação completa e uso de fio dental), tem chances também de ter gengivite, periodontite, infecção e cicatrização tardia, disfunção da glândula salivar, infecção por fungos, desajuste no paladar e outros desequilíbrios na cavidade oral.

E o pior ainda pode ocorrer: caso o paciente diabético não consiga controlar os níveis de glicose no sangue, as doenças gengivais infelizmente podem se agravar.

O motivo é que assim como qualquer infecção que acaba elevando o nível de açúcar no sangue, as doenças gengivais podem atuar desta maneira também, aumentando a glicose e dificultando o controle do diabetes.

Cuidados bucais que o diabético precisa ter

Dois grandes objetivos que um diabético precisa ter: o primeiro é o de controlar o nível de glicose no sangue e o segundo é cuidar bem da gengiva e dos dentes.

Como o indivíduo conseguirá atingir estes objetivos? Por meio da manutenção de bons hábitos diários, como:

  1. não fumar (a nicotina aumenta em até cinco vezes o risco de infarto em diabéticos);
  2. evitar açúcares e carboidratos;
  3. manter a saúde bucal equilibrada;
  4. controlar a ansiedade e depressão (fazendo acompanhamentos com psiquiatra, psicólogo ou terapias alternativas com profissionais responsáveis – nutricionistas, massagistas, terapeutas etc);
  5. praticar atividade física leve para controlar a glicose.

O paciente diabético precisa realizar acompanhamento frequente com médicos e dentistas, fazendo exames a cada seis meses.

O dentista precisa saber sobre qualquer alteração no estado da saúde do corpo, além dos medicamentos usados.

Implante dentário em Belo Horizonte

Se o açúcar no sangue não estiver controlado, é necessário de um atendimento médico com risco cirúrgico para poder liberar a realização de qualquer procedimento dentário (como implante ou cirurgias gengivais, por exemplo).

Controlando a glicose, automaticamente se controla e evita a boca seca, um dos sintomas do diabetes.

Após ler este texto, comente sobre este assunto com seus familiares ou amigos: os que têm a doença para reforçarem os cuidados e os que não têm, para prevenir que ela apareça.

Quanto maior for o nível de prevenção proporcionada por uma vida repleta de bons hábitos diários, maiores serão as chances de todos sorrirem pra vida sem preocupação e diabetes!